domingo, outubro 26, 2014

Crônica sobre a morte na periferia

Zildão
da rua de cima
não fumava
não bebia
era crente
morreu novo
e de repente.