sábado, julho 16, 2011

Mais do mesmo

o enredo permanece o mesmo,
lógico e desnaturado
indolente e apressado.

agora é tempo de ir
com malas cheias,
coração na mão.

e no mar,
prestes a me afogar,
carrego a incerteza insistente
que é amar.

17h05

0 comentários:

Postar um comentário